Agropecuária
Agência de Defesa convoca produtores de soja para cadastro de controle da ferrugem asiática em lavouras
20/06/2022 às 11h47

A Agência de Defesa Agropecuária (Aderr) convocou produtores de soja para, a partir do dia 20 de junho, fazerem um cadastro no programa de controle da ferrugem asiática, doença que lavouras do grão.

O cadastramento se inicia dia 20 de junho e pode ser feito na sede da Aderr, em Boa Vista, nas Unidades de Defesa Agropecuárias ou escritórios da Agência nos municípios do interior. O processo é feito Sistema de Gerênciamento Agropecuário (Sigaderr).

Roraima, até essa segunda-feira (13), teve um único registro de ferrugem asiática. A praga foi identificada em 2021 em propriedades dos municípios de Alto Alegre e Iracema, sendo confirmada por laboratório oficial credenciado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

"Todas as propriedades que plantam soja devem se cadastrar no Órgão Estadual de Defesa Vegetal, em Roraima na Aderr. Antes, não se exigia, pois na havia a ocorrência em Roraima. De agora em diante, precisamos ter todas as propriedades produtoras de soja cadastradas. Precisamos ter todas as propriedades cadastradas até agosto, para a safra de 2022, prazo final para o período de semeadura", explicou Marcos Prill, diretor de Defesa Vegetal da Aderr.

O cadastro dos produtores na Aderr obedece determinação do Mapa. A ideia é fazer o acompanhamento do monitoramento da ocorrência da praga durante o período de safra, o cumprimento do vazio sanitário, além do calendário de semeadura e os cultivos autorizados em caráter especial.

"Durante o período de vazio sanitário (a princípio de 19 de dezembro a 19 de março) os fiscais da Aerr irão até as propriedades verificar se a norma está sendo cumprida. Neste período, não poderá haver planta viva de soja, rebrota ou soja voluntária. Os proprietários que mantiverem plantas serão notificados a eliminar as plantas. Tal medida visa quebrar o ciclo de vida do fungo patogênico, causador da ferrugem, assim impedindo danos a próxima safra e maiores custos de produção com o uso de defensivos", reforçou Prill.

Ferrugem asiática em Roraima

Em 2021, a ferrugem asiática foi identificada no plantio da soja em Roraima pelos técnicos da Aderr com a colaboração da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Foi o primeiro caso da ocorrência do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da doença, no estado, informou a Agência.

A identificação da doença ocorreu durante trabalho de rotina de inspeção de plantios, quando foi realizada coleta de folhas de soja, com sintomas pelos técnicos da Aderr.

O fungo causador da ferrugem, Phakopsora pachyrhizii é um parasita obrigatório. Para se desenvolver e multiplicar ele precisa de um hospedeiro vivo a fim de concluir seu ciclo de vida. O patógeno é favorecido por temperaturas que variam de 18°C a 26,5°C e um período de molhamento foliar de 8h a 12h.

Nestas condições, o ciclo da doença é bastante rápido, de 6 a 10 dias entre a deposição do primeiro esporo e o aparecimento dos primeiros sintomas, causando, portanto, perdas consideráveis, dependendo da severidade da doença.

Nestas condições, o ciclo da doença é bastante rápido, de 6 a 10 dias entre a deposição do primeiro esporo e o aparecimento dos primeiros sintomas, causando, portanto, perdas consideráveis, dependendo da severidade da doença.

Fonte: G1