SENAR
Bahia tem dois ganhadores em premiação do cacau brasileiro
01/12/2021 às 15h27
Atualizada em

 

O III Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial avaliou 94 amostras de amêndoas e premiou 7 ganhadores

A cacauicultura baiana, amplamente retratada em livros e novelas, ano após ano tem ganhado notoriedade no Brasil e no exterior. Primeira a trazer para o País, por dois anos consecutivos, o título de melhor do mundo, acaba de reafirmar o seu potencial, com mais duas premiações. O mais novo reconhecimento de qualidade das amêndoas – matéria-prima para produção de chocolates finos – foi concedido na segunda-feira (22), durante o III do Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial, evento patrocinado pela Faeb/Senar. Só nesta edição, o Estado ostentou dois dos três lugares no pódio dos melhores do País na categoria varietal (variedade única).

A produtora Cláudia Sá, da Agrícola Cantagalo, em Itabuna, na região cacaueira, ficou com o primeiro lugar. “O que traz a gente até aqui é o amor pelo que a gente faz. Já são 10 anos que comecei a ‘namorar’ o cacau e há 3 estou completamente apaixonada. Estou muito emocionada e muito feliz porque isso é fruto de muito trabalho e muita dedicação”, destacou Cláudia, ao agradecer à equipe de colaboradores, família e organização do evento.

O segundo lugar também ficou com um baiano, do Vale do Juliana Fruticultura, no município de Igrapiúna, no Sul da Bahia. Já o terceiro colocado foi uma revelação. Em seu primeiro ano de participação no concurso, o estado de Rondônia já emplacou um vencedor. O produtor Mauro Tauffer, de Buritis, foi o terceiro premiado na categoria.

Ao todo foram 94 amostras inscritas para concorrer às categorias Varietal e Blend (Mistura), das quais 22 seguiram para a segunda etapa da disputa pelo título e pelos prêmios, que somavam R$ 24 mil.

A cada edição, o Concurso vem aumentando gradativamente o número de participantes. “A adesão de produtores de Rondônia foi uma grata surpresa para nós este ano. Esperamos que esse destaque incentive outros cacauicultores daquele estado. Gostaríamos de ver todas as regiões produtoras engajadas nesse processo de transformação e valorização da cadeia produtiva do cacau”, pontuou Cristiano Villela, diretor científico do Centro de Inovação do Cacau (CIC), entidade organizadora do evento, juntamente com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

Além de uma minuciosa análise dos aspectos físico-químicos das amêndoas, as propriedades produtoras do cacau precisaram também cumprir uma série de critérios de sustentabilidade para estar entre os finalistas. A última etapa da avaliação foi a análise sensorial do cacau, tanto na forma de liquor, quanto como chocolate elaborado a 70% cacau. Os chocolates foram codificados e enviados para um júri de convidados especiais para uma prova às cegas. Entre os integrantes do júri desta edição estão o empresário Ale Costa, da Cacau Show, o chef confeiteiro Lucas Corazza, jurado do programa Que Seja Doce da GNT, a chef chocolatière da Dengo Chocolates Luciana Lobo, entre outros.

O Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial do Brasil, que seleciona as melhores amêndoas produzidas no país, visa fortalecer a cacauicultura brasileira, valorizando e reconhecendo produtores que fazem um trabalho diferenciado, bem como incentivar a sustentabilidade em todo o processo produtivo. A premiação é uma iniciativa conjunta da cadeia produtiva do cacau, patrocinada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Governo do Pará (Sedap), Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura do Governo da Bahia (Seagri), pela Associação das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC), Centro de Inovação do Cacau (CIC), Dengo Chocolates, FAEB/SENAR, Harald, Mondelez – Cocoa Life, Nestlé – Cocoa Plan, Gencau e SEBRAE. A realização é do CIC em parceria com a Ceplac.

Conheça os premiados

Na categoria Varietal:

1º lugar: Claudia Calmon de Sá (Itabuna-BA) – variedade BN34

2º lugar: Vale do Juliana Fruticultura (Igrapiúna-BA) – variedade PH16

3º lugar: Mauro Celso Tauffer (Buritis-RO) – SJ02

 

Na categoria Blend

1º lugar: Robson Brogni (Medicilândia-PA)

2º lugar: Hélia Félix de Moura (Medicilândia-PA)

3º lugar: José Renato Preuss (Brasil Novo-PA)

e João Rios de Souza (Novo Repartimento-PA

Fonte: Ascom Sistema Faeb/Senar