SENAR
Baiano é premiado como produtor rural destaque do Agronordeste, da CNA
15/12/2021 às 08h28
Atualizada em

Em uma noite para celebrar os melhores resultados do Agronordeste, o produtor rural baiano João Meira Cotrim, foi um dos vencedores do “Prêmio ATeG Agronordeste – Gestão e Resultado 2021”, do Sistema CNA/Senar. A premiação é um reconhecimento aos produtores rurais que tiveram os melhores desempenhos de produção em suas propriedades.

João Meira foi premiado na categoria fruticultura, ao lado do pernambucano João Batista Xavier de Barro (bovinocultura de leite) e de Josiberto Oliveira Cavalcante, da Paraíba (ovinocaprinocultura).

O Agronordeste é um plano de ação criado pelo Ministério da Agricultura (Mapa) e desenvolvido em parcerias como, por exemplo, a do Sistema CNA/Senar, que oferece Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) aos produtores cadastrados no programa.

A iniciativa promove ações para a melhoria de gestão, inclusão produtiva, aumento de produtividade e lucratividade de propriedades rurais nos estados do Nordeste e no norte de Minas Gerais.

Na abertura da cerimônia de premiação, o presidente da CNA, João Martins, afirmou que há alguns anos a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, propôs um desafio de desenvolver um projeto que atendesse os produtores rurais da região Nordeste. “Nós estruturamos o programa Agronordeste e hoje apresentamos os principais resultados dessa iniciativa que a ministra sempre sonhou”.

A solenidade, realizada na sede da Confederação em Brasília, foi transmitida pela internet e contou com a presença de diretores do Sistema CNA/Senar, presidentes de Federações, ministros, políticos, pesquisadores e integrantes de entidades do agro.

Segundo o diretor-geral do Senar, Daniel Carrara, um dos objetivos do Prêmio ATeG Agronordeste é dar visibilidade aos produtores que se esforçam e conseguem alcançar as metas pré-estabelecidas no plano de negócios.

“Nós nunca duvidamos que o produtor rural do semiárido brasileiro conseguisse avançar, atingir metas e obter rentabilidade. O Agronordeste é um exemplo de que quando um técnico visita todo mês a propriedade rural e adequa questões tecnológicas com gestão, a vida de uma família toda muda”, disse.

Na categoria fruticultura, o ministro da Cidadania, João Roma, premiou o produtor rural João Meira Cotrim, do município de Guanambi, na Bahia, com um pulverizador e um kit gerador de energia solar. João Cotrim é produtor de goiaba e já possui 18 atendimentos de ATeG.

Na propriedade de 2 hectares, onde mora com a esposa e os filhos, o produtor registrou um salto na produtividade nos últimos 12 meses, com mais de 25 toneladas de frutos. A adoção de tecnologia foi fundamental para o aumento de produtividade e renda da propriedade.

“Para mim é um orgulho receber esse prêmio, me sinto lisonjeado. A chegada dos técnicos foi muito importante para nós. Antes do Senar, o nosso fruto era pequeno e de baixa qualidade. Com os ensinamentos repassados pela técnica de campo conseguimos melhorar a rentabilidade e desenvolvemos o manejo da lavoura e do solo. Todas as melhorias foram desenvolvidas pelo Senar”, destacou João Meira.

O presidente do Sistema Faeb/Senar, Humberto Miranda, também comemorou mais uma conquista do estado na premiação. "Esse programa veio para mostrar o que já sabíamos, que o nordeste é viável, produtivo e competitivo. Os produtores rurais têm se dedicado cada vez mais, investindo em tecnologia e em inovação, e buscando conhecimento. E é esse nosso compromisso com o campo e com os produtores, levar informação através de programas como o Agronordeste, dando a assistência técnica necessária para transformar ainda mais o agro dessa região que a gente sabe que ainda é tão carente. E fico muito feliz que a Bahia por, mais uma vez, tenhamos um produtor rural baiano com destaque nacional em um programa tão importante como esse", disse.

Durante o evento, a ministra Tereza Cristina, destacou que a intenção do governo é levar recursos até o campo para que os produtores tenham assistência técnica, possam produzir, ter renda, melhorar a condição de vida e, ainda, dar exemplo aos seus vizinhos para que mais produtores se inscrevam no programa.

A ministra também disse que nessa semana o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou US$ 230 milhões para o programa Agronordeste. “Nós teremos mais recursos para colocar nesse programa que é tão especial. Vamos fazer muito mais pelos produtores da região do semiárido”.

A comissão julgadora avaliou casos de sucesso de acordo com o desempenho e resultados com a ATeG como assiduidade e comprometimento, o envolvimento familiar na gestão da atividade,  inovação, sustentabilidade e aderência à metodologia.

Fonte: Ascom Sistema Faeb/Senar