Agropecuária
CNA promove seminário na Bahia para debater comércio exterior
23/04/2019 às 07h10

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu na segunda (22), em Itabela (BA), o seminário da Rede Agropecuária de Comércio Exterior (InterAgro) para debater a importância do mercado internacional para o agro da região.

O evento foi uma parceria entre a CNA e a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB), o Sindicato dos Produtores Rurais de Itabela e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

A coordenadora de Relações Internacionais da CNA, Camila Sande, conduziu a primeira palestra sobre abertura comercial e o mercado doméstico.

“Esse é o primeiro passo para um trabalho intenso de fortalecimento das exportações na região. A nossa intenção é construir alicerces sólidos e aliados com a realidade dos municípios do Extremo Sul para promover ações de incentivo para o aumento das exportações”.

Segundo ela, o produtor precisa fazer parte do processo de abertura comercial para ter ganhos efetivos e vantagens na produção, como aumento de produtividade e qualidade dos produtos.

O representante do escritório Nordeste da Apex-Brasil, Sérgio Ferreira, falou para um auditório lotado sobre mercados potenciais, o passo a passo para exportar e a necessidade de adaptar os produtos de acordo com a preferência do importador.

Sobre as oportunidades para as frutas brasileiras no comércio exterior, o gerente de Projetos da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), Jorge Sousa, afirmou que o país ocupa o terceiro lugar no ranking mundial de produção de frutas, mas exporta apenas 2,5% do seu potencial.

“A tecnologia é uma ferramenta essencial tanto para a produção, quanto para o consumo. Os chineses, por exemplo, compram frutas pelo celular. A Ásia é um mercado estratégico para as frutas brasileiras, já que em breve representará metade da população mundial”.

O produtor rural Ulisses Brambini apresentou o caso de sucesso da empresa Bello Fruit com a exportação de frutas, como o mamão papaya. “Trabalhamos com embarques aéreos diários para os mercados europeu e americano”.

De acordo com a representante da CNA, na terça (23) o Sistema se reunirá com o Sindicato de Itabela para fazer um levantamento das potencialidades regionais. “Já sabemos que a produção local é forte em café conilon, frutas (banana e papaya) e pimenta do reino”.

Participaram do encontro produtores rurais, especialistas do setor, presidentes dos Sindicatos Rurais de Porto Seguro, Eunápolis, Itabela e Teixeira de Freitas, o secretário de Meio Ambiente de Itabela, Ednardo de Morais Oliveira, o secretário da Agricultura de Itabela, Edgar de Moares, e o vice-presidente de Desenvolvimento Agropecuário da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB), Rui Dias.

Assessoria de Comunicação CNA