Agropecuária
Complexo soja responde por 46,6% das exportações totais do agronegócio em 2018
14/08/2018 às 08h47

Com vendas externas no total de US$ 27,26 bilhões, o complexo soja foi o principal setor exportador do agronegócio brasileiro entre janeiro e julho de 2018, um aumento de 18,5% em comparação com o mesmo período do ano passado. O valor exportado pelo setor cresceu em função da elevação do volume exportado (+11,7%) e do preço médio de exportação (+6,1%).

Esse valor representou 46,6% do total das exportações brasileiras do agronegócio nos sete primeiros meses deste ano e um aumento da participação do setor nas vendas externas do agronegócio de 5,2% ante os 40,8% de participação do setor no mesmo período de 2017.

De acordo com dados do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) as vendas exrternas de soja em grão totalizaram US$ 22,50 bilhões (+17,2%) e tiveram uma participação de 82,5% no valor toal exportado pelo setor. Esse valor é recorde da série histórica (1997/2018) e as 56,47 milhões de toneladas de soja em grão exportadas também são recorde para o período.

Da mesma forma, as exportações de farelo de soja também foram recordes em valor e quantidade. De janeiro a julho foram vendidos ao exterior US$ 4,08 bilhões em farelo de soja (+30,1%), equivalentes a 10,3 milhões de toneladas (+17,5%). Já as exportações de óleo de soja cresceram 1,8%, passando de US$ 686 milhões de janeiro a julho de 2017 para US$ 698 milhões no mesmo período deste ano.

A segunda posição entre os principais setores do agronegócio foi ocupada pelos produtos florestais. As vendas desses produtos tiveram uma elevação de 27,4%, totalizando US$ 8,11 bilhões. O principal produto exportado pelo setor foi a celulose, com vendas externas recordes de US$ 4,94 bilhões (+40,8%). Ano após ano as exportações de celulose vêm estabelecendo novos recordes nos embarques externos, o que fez com que o setor passasse a ocupar a segunda posição entre os principais setores exportadores do agronegócio.

De janeiro a julho, as exportações de celulose somaram a cifra recorde de US$ 4,94 bilhões e a quantidade igualmente recorde de 9,06 milhões de toneladas (+11,0%). Outros produtos exportados pelo setor também tiveram expansão: madeiras e suas obras (US$ 2,03 bilhões, +14,9%) e papel (US$ 1,14 bilhão, +4,5%).

Outro importante segmento do agronegócio, o das carnes ocupou o terceiro lugar no ranking das exportações do agronegócio, com embarques no total de US$ 8,05 bilhões (-6,7%), devido à retração na quantidade (-5,6%) e no preço médio de exportação (-1,2%). As exportações de carne de frango foram de US$ 3,56 bilhões (-14,0%). As vendas externas de carne suína também caíram, passando de US$ 942,07 milhões para US$ 672,71 milhões (-28,6%). A exceção entre as carnes ficou por conta da carne bovina, que teve aumento nas vendas externas de US$ 3,16 bilhões entre janeiro e julho de 2017 para US$ 3,51 bilhões (+11,1%) no mesmo período deste ano.

Por outro lado, as exportações do complexo sucroalcooleiro caíram de US$ 7 bilhões em 2017 para US$ 4,18 bilhões este ano, com uma forte contração de -40,3%. Apesar disso, as vendas desses produtos garantiram ao setor a quarta posição entre os principais exportadores do agronegócio.

Essa queda pronunciada ocorreu devido a uma elevação na oferta de açúcar no mercado internacional, que reduziu os preços médios de exportação em -24,4%, e à quantidade de açúcar exportada pelo Brasil, que teve uma queda de -24,4%. Da mesma forma também caíram as exportações de álcool (-4,1%), que passaram de US$ 438,73 milhões em 2017 para US$ 420,78% de janeiro a julho deste ano.

Finalmente, o setor cafeeiro ficou na quinta posição entre os principais setores exportadores do agronegócio. No período, as exportações declinaram de US$ 2,94 bihões de janeiro a julho de 2017 para US$ 2,47 bilhões neste ano. Foram registradas quedas nos embarques de café verde (-16,4% para US$ 2,14 bilhões) e de café solúvel, que passaram de US$ 337,07 milhões em 2017 para US$ 282,32 milhões nos sete primeiros meses deste ano.

De acordo com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os cinco principais setores exportadores do agronegócio foram responsáveis por 84,6% das exportações totais do setor no período acima mencionado, uma ligeira queda ante os 85,0% registrados no ano passado. Os vinte demais setores exportadores do agronegócio ampliaram suas exportações de US$ 8,44 bilhões no período de janeiro a julho de 2017 para US$ 9,14 bilhões (+8,4%) no mesmo período de 2018.

Fonte: Comex do Brasil