FAEB
NOTA PÚBLICA - Governador abre venda do Parque de Exposições sem diálogo com o setor
29/10/2020 às 10h04

GOVERNADOR ABRE VENDA DO PARQUE DE EXPOSIÇÕES SEM DIÁLOGO COM O SETOR

Perplexidade, estranhamento e indignação. São as palavras que melhor podem definir como o setor agropecuário recebe a informação da publicação de edital de chamamento público para alienação do Parque de Exposições de Salvador. Segundo divulgado amplamente pela imprensa, o Governador, que prega a necessidade de diálogo para fora do Estado, aqui se recusa a dialogar com as representações do Agro e, sem considerar as diversas manifestações contrárias das entidades que representam a sociedade baiana, disse em uma entrevista que não havia necessidade do Parque de Exposições no local onde está atualmente, por que “vaca, cavalo, não pegam metrô”.

O Governador não pode esquecer que por traz de cada animal, insumo, grão, fruta, tem produtores e trabalhadores rurais que vem garantindo - com seu trabalho, investimento e competência - que a Bahia tenha saldo positivo no Produto Interno Bruto (PIB), nos últimos anos. E é graças a esse grande volume de negócios gerado pelo Agro que o governo pôde investir para que Salvador tenha um metrô moderno e funcional, mas que pelas palavras do Governador, não pode atender ao homem do campo e ao setor agropecuário, que foram reduzidos a vacas e cavalos.

O Governador está ignorando que o Estado tem os mais modernos processos produtivos do mundo, sendo referência em qualidade, competitividade e segurança, exportando desde frutas do Vale do São Francisco a mais moderna genética animal. É importante também relembrar os números do setor agropecuário baiano. No primeiro semestre deste ano, o PIB agropecuário apresentou crescimento de 7,5%, enquanto os outros setores apresentaram queda; em 2019 o agronegócio baiano representou 21% do PIB Baiano. Em relação à geração de emprego, segundo dados do Censo Agropecuário, são 2.1 milhões de pessoas ocupadas nas atividades agropecuárias.

Em meio a pandemia, o Agro seguiu trabalhando, produzindo e crescendo. Os números também provam: até setembro de 2020, o agro baiano exportou 2,7 bilhões de dólares, representando 49,2% do total exportado pelo Estado.

O setor agropecuário segue lutando contra a venda do Parque de Exposições de Salvador, único espaço que tem estrutura para receber os eventos, que movimentam a economia e geram emprego e renda para todos os baianos, e segue trabalhando com as boas notícias que vêm do campo, com previsão de produção recorde de soja, exportação aumentando, fruticultura crescendo, agronegócio empregando. Porque mesmo que o Governador não dialogue e não reconheça, o Agro é muito mais que vacas e cavalos.