Agronegócio
Programa Agronordeste na Bahia vai atender mais de mil propriedades no mês de julho
09/07/2020 às 17h48
Atualizada em


 

O Sistema Faeb/Senar programou até o final do mês de julho mais de mil visitas em  propriedades assistidas pelo Programa Agronordeste na Bahia. Diversas cadeias produtivas serão contempladas durante esse período, entre elas, bovinocultura de leite, ovinocaprinocultura de corte, apicultura, fruticultura, sisal e mandioca.  

As ações iniciadas na segunda quinzena de junho já mobilizam quase 400 produtores rurais atendidos na Assistência Técnica e Gerencial por 41 técnicos e 9 supervisores prestadores de serviço do Senar Bahia. Entre as propriedades visitadas estão a Fazenda Caldeirão do Negro, no Perímetro Irrigado de Ceraíma em Guanambi; a Fazenda Retirada, localizada em Conceição do Coité; a Fazenda Lagoa das Caraíbas, em São Domingos; a Comunidade Mombaça em Serrinha;  a Fazenda Terras Freire Mendes, na cidade de Mirangaba e o Povoado Santo Agostinho, situado no município de Pé de Serra.

Já na Região de Irecê foram distribuídas para os técnicos de campo, as cartilhas confeccionadas pelo Senar Bahia com as orientações de como os produtores e trabalhadores rurais podem se proteger da contaminação do Covid-19.

A produtora rural Carmem Lene, do município de Serrinha (cadeia produtiva da mandioca), agradeceu o trabalho e apoio do Senar Bahia com as ações de assistência técnica em sua Região. “A partir de agora vamos desenvolver as nossas atividades com conhecimento de causa. Não sabíamos o método certo para ter uma boa renda e agora com todas as técnicas aprendidas já estamos na direção certa”, garantiu.

Vale ressaltar que o Senar Bahia vem cumprindo todos os protocolos de prevenção e combate ao Coronavirus, recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com uso obrigatório de máscaras, lavagem e higienização constantes das mãos e todos os procedimentos exigidos para a prevenção e combate a esse vírus.

O Agronordeste atende pequenos e médios produtores que já comercializam parte da produção, mas que ainda encontram dificuldades para expandir o negócio e gerar mais renda e emprego na região onde vivem.

Fonte: Senar Bahia