FAEB
Sistema FAEB/SENAR recebe primeira Audiência Pública da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa
19/03/2019 às 13h45
Atualizada em
“Viemos aqui para saber qual a prioridade do produtor rural baiano. E sabemos a FAEB tem essa resposta”, disse presidente da Comissão, deputada Jusmari Oliveira

Com o objetivo de aproximar as discussões sobre o setor agropecuário na Assembleia Legislativa da Bahia com as reais demandas e necessidades dos produtores rurais, o Sistema FAEB/SENAR recebeu, na manhã desta terça-feira, 19, a primeira Audiência Pública da Comissão de Agricultura e Política Rural da ALBA. “Foi decisão unânime que os nossos trabalhos deveriam começar aqui. Porque a FAEB tem o respeito total de todos dos deputados pelo trabalho sério e coerente que vem fazendo”, ressaltou a presidente da Comissão, a deputada Jusmari Oliveira (PSD). Ela acrescentou ainda que essa aproximação com a FAEB é fundamental para que os trabalhos na Assembleia sejam mais assertivos.

“Estamos aqui para saber o que é prioridade para o nosso produtor rural. O agro é muito dinâmico, evolui rápido, e a gente sabe que a Federação acompanha de perto toda essa transformação. Por isso, viemos ouvir o presidente da Federação, Humberto Miranda, que legitimamente representa muito bem todos os produtores rurais da Bahia e pode, sem sombra de dúvidas, falar em nome da categoria”, concluiu.

O presidente do Sistema FAEB/SENAR, Humberto Miranda, agradeceu a deputada pelas palavras e pela escolha da Federação para a realização da audiência. Em seguida, ele apresentou as principais características do setor agropecuário baiano, com todas suas potencialidades e diversidades, e também a atuação do Sistema FAEB/SENAR no campo, que atende mais de 40 mil pessoas por ano, em todo o Estado, gratuitamente, levando capacitação, educação formal, assistência técnica e gerencial continuada e programas sociais, abrangendo assim, crianças, jovens, produtores e trabalhadores rurais e toda sua família.

Durante a apresentação, o presidente expôs ainda as principais demandas da agropecuária. Ele compartilhou com os deputados e o público presente os gargalos do setor em todas as áreas, desde a falta de uma política pública específica para o semiárido, até o fortalecimento dos órgãos que atuam no segmento, como a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e a Secretaria de Agricultura do Estado (Seagri).

Ele também ressaltou a importância de garantir ao homem do campo segurança pública e jurídica para que o produtor rural possa trabalhar. “Precisamos dar ao produtor rural tranquilidade para produzir. Hoje, infelizmente, esse é um problema que atinge todas as regiões da Bahia e precisamos mudar essa realidade. O produtor evita dormir na propriedade com medo. E essa insegurança acaba afastando investimentos também, o que é ruim para todo mundo”. 

O presidente do Sistema FAEB/SENAR finalizou sua apresentação convocando a todos para um trabalho coletivo e consistente no interior da Bahia, como já se faz na CNA, por intermédio do presidente João Martins. “Não se muda o campo se a gente não mudar as pessoas. Precisamos qualificar e profissionalizar a mão de obra rural e o produtor. Só assim teremos mudanças reais na produção. Por isso o poder público precisa focar na educação qualificada e fortalecer a Assistência Técnica e Gerencial. Em toda a Bahia há carência de assistência. Precisamos nos unir e a FAEB está à disposição para isso”, garantiu.

CLIQUE AQUI e veja todas as demandas apresentadas pelo Sistema FAEB/SENAR aos deputados e autoridades.

O consultor especial da presidência da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Nilson Leitão, que já foi deputado federal pelo Mato Grosso, também participou da audiência. “O que a Bahia está fazendo aqui é um ponto inicial para um momento de transformação. O Brasil não tem outro caminho a não ser o da agricultura e pecuária. O mundo vai, cada vez mais, precisar da gente e estamos prontos para isso. Por isso a Federação, representando os produtores, e essa Comissão, composta por deputados que entendem a importância do agro para nosso País e para a Bahia, podem, de fato, transformar ainda mais o campo”, ressaltou.

O diretor-geral da Adab, Bruno Alves, também esteve presente esta manhã na sede do Sistema FAEB/SENAR. Além dele, representantes de vários setores do agro apresentaram as necessidades de cada região e cadeia produtiva: o presidente do Conselho Administrativo do Projeto Formosa, Antônio Márcio; o presidente da ACCOBA, Almir Lins; o diretor do Instituto Pensar Cacau, Antônio Mascarenhas; o presidente da Comissão de Leite da Bahia, Francisco Peltier; e o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, Cícero José Teixeira.  

Além das autoridades já citadas, também praticaram da audiência pública a vice-presidente da FAEB, Carminha Missio; prefeitos; secretários municipais; associações ligadas ao agro; o vice-presidente de Desenvolvimento Agropecuário da FAEB, Rui Dias; o vice-presidente Financeiro da Federação, Guilherme Moura; a superintendente do SENAR BAHIA, Carine Magalhães; o assessor jurídico da FAEB, Carlos Bahia; presidentes dos Sindicatos dos Produtores Rurais; produtores rurais, autoridades e pessoas ligadas ao agro e a imprensa.

Os deputados participantes da Comissão de Agricultura presentes no evento também fizeram o uso da palavra:

Deputado Eduardo Sales (PP): A Bahia está representando o Brasil na CNA, com João Martins, na presidência da Confederação. Precisamos aproveitar essa força para avançar aqui também! E a FAEB está fazendo isso com presteza. Eu anotei diversos pontos aqui apresentados por Humberto Miranda para trazer respostas para a Federação e para os produtores rurais, como a criação de uma delegacia especializada em roubos e furtos no campo, para se criar uma inteligência para combater esse tipo de crime.

Deputado Sandro Regis (DEM), vice-presidente da Comissão: Eu acredito que o caminho é esse aqui. Precisamos buscar mais a prática que a teoria. E isso o que está acontecendo. Vendo as demandas com a FAEB, para executar e transformar. Esse é o início de um novo momento de atuação do agro. 

Deputado Paulo Câmara (PSDB): A Bahia e o Brasil precisam do setor agropecuário. E nós, representando o povo, precisamos tomar decisões de colegiado, com setores responsáveis e representantes para ajudar o campo. E assim iremos tirar do papel o que foi discutido aqui. Mas para isso precisamos criar nossas pautas e lutar por elas, com conhecimento, argumentos técnicos. Diminuir a burocracia, colocando prazos para elevar ainda mais o nível da agropecuária baiana. Essa Comissão está pronta para isso.

Deputado Zé Cocá (PP): Eu parabenizo o presidente do Sistema FAEB/SENAR pelas suas palavras. Porque conhece a Bahia que sofre muito com a carência da assistência. Eu acredito no Agronegócio e estou à disposição da Federação da Agricultura e Pecuária. É com essa missão que a Comissão existe e para isso que iremos nos unir em pautas coletivas,

Deputado Osni Araújo (PT): Sou ligado ao setor agro, e sei que temos muito a avançar. Depois dessa Audiência de hoje, estarei ainda mais focado em nossas pautas. A tarefa é de todos: governos, produtores, iniciativa privada. Só unidos iremos vencer. Reforçando órgãos públicos, contando com incentivos. Estou pronto para ajudar o que for necessário.

Fonte: Ascom Sistema FAEB